width=1100' name='viewport'/> Jurídico Laboral: CONFLITOS DO TRABALHO. QUAIS SÃO E COMO EVITAR AS SITUAÇÕES MAIS FREQUENTES
"A INJUSTIÇA QUE SE FAZ A UM, É UMA AMEAÇA QUE SE FAZ A TODOS" MONTESQUIEU


sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

CONFLITOS DO TRABALHO. QUAIS SÃO E COMO EVITAR AS SITUAÇÕES MAIS FREQUENTES



CONFLITOS DO TRABALHO. QUAIS SÃO E COMO EVITAR AS SITUAÇÕES MAIS FREQUENTES


* RICARDO BARBOSA. JORNAL TRABALHISTA. CONSULEX, 10 de Novembro de 2014. 31.1554/15.

Os conflitos devem ser objetos de análises antes de qualquer ação. O grande erro dos profissionais na hora que enfrentam conflitos e problemas no trabalho são ações impulsivas. Geralmente, quando isso ocorre, o resultado é o aumento do conflito ou outras complicações. Assim, só tome ações imediatas em casos de urgência, nos demais, o mais interessante é sempre refletir antes para depois definir o que será feito.

Vejam alguns dos principais conflitos e as medidas que devem ser tomadas:

PERSEGUIÇÃO no AMBIENTE de TRABALHO:

Esse fato é bastante comum, e ele é, na maioria das vezes, fruto da falta de diálogo. Assim, alguém que se sente perseguido no ambiente de trabalho deve primeiramente fazer uma reflexão: Será que essa perseguição não é reflexo de alguma postura imprópria, tomada? Será que não possui também parcela de culpa nessa situação? Hoje, os casos de perseguição são realmente muito freqüentes, mas também ocorrem situações de vitimação. Posteriormente a esta reflexão, recomenda-se diálogo, se possível com um mediador, buscando alinhar as ações e eliminar dificuldades que possam ocorrer no futuro. 

COMPETITIVIDADE EXAGERADA:

A competitividade é cada vez mais vigente no mercado de trabalho e, em certo ponto, é saudável, pois potencializa o crescimento das pessoas, contudo, quando é exacerbada, se inicia um grande problema, podendo até mesmo prejudicar os resultados da Empresa. Qual o ponto exato de uma boa competitividade? Essa deve ser a que se estabelece até o ponto em que um não prejudique o trabalho do outro, criando dificuldades ou mesmo sabotando as ações. Nos casos em que isso ocorre, é necessário que se busque primeiro o diálogo franco, mostrando que todos se prejudicam, posteriormente, tentar registrar os fatos ocorridos, seja por email ou por outro tipo de documentação e, por fim, buscar os superiores explicando essas dificuldades.

ASSÉDIO MORAL:

Assédio Moral é uma situação muito complexa e mais comum do que se imagina. Nesse caso, o posicionamento das pessoas perante esta situação também é de grande complexidade, principalmente pelo motivo de que isso ocorre, na grande maioria dos casos, de cima para baixo. E, mesmo quanto existe também alguém acima de quem está assediado, uma acusação sem provas pode ser alvo de mau entendimento. Assim, o primeiro passo é se resguardar, criando provas de que essa situação realmente ocorre. Posteriormente, o ideal é ter uma conversa franca com a pessoa que pratica essa ação, mas em um momento em que ela esteja mais calma. Geralmente, são assediadas pessoas que possuem uma postura de maior timidez, assim, uma mudança de postura pode auxiliar. Se, mesmo assim, não alterar a situação, recomenda-se procurar um superior, comprovando o ocorrido e, em último caso, buscar mudar de emprego e entrar até mesmo com uma ação contra o assediador.  

AMBIENTE de TRABALHO INADEQUADO:

Isso pode ocorrer por diversos motivos, como muita bagunça; estresse e cobrança demasiada, dente outros motivos. Nesse caso, também se recomenda cautela, pois o reclamante pode passar por chato e ser tratado de forma diferenciada do grupo. Tente percebe r que tanto estresse como brincadeiras são fatos naturais no setor de trabalho, mas que o problema ocorre quando se tem excessos que prejudicam a produtividade. Nesses casos, nada de gritar ou bater de frente. Aguarde a situação passar para conversar com as pessoas que estavam à frente da bagunça ou do nervosismo, explicando as dificuldades que ocorreram, mas de uma maneira simpática.

ASSÉDIO SEXUAL:

Nesse caso, a situação é muito mais séria. Pequenas brincadeiras de cunho sexual já não são recomendadas dentro das empresas, assim, busque sempre fugir desse tipo de situação, com uma postura profissional e, caso a situação persista, a recomendação é buscar comprovações e, dependendo do caso, até mesmo medidas legais devem ser tomadas. Omitir-se ou apenas pedir demissão faz com que essa pessoa que está cometendo um crime se sinta impune e possa fazer isso novamente em ações futuras. Muitas vezes o medo impera nessa situação, mas é necessário buscar combater essa realidade que infelizmente ainda ocorre em muitas Empresas.


* O AUTOR é Diretor Executivo da Innova Training & Consulting. Consultor de Gestão há 15 anos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário